Dia do Podcast!

por Claudio o Dragão Dourado

 

Conheci o podcast no ano de 2007, quando estava lendo o livro Harry Potter e a Ordem da Fênix ,se não me engano, e o Fabio -conhecido também como Staypuff ( que gravou o Omegacast sobre histórias de trabalho parte 2) – me apresentou o Nerdcast #70, sobre Harry potter, e gostei bastante. Mesmo discordando de alguns pontos, gostei muito, tanto que fiz a famosa maratona e ouvi em alguns meses os outros 69 restantes e os que iam saindo. Pelo Nerdcast, conheci o NowLoading. Dele, conheço o chat de MSN e o Animecast, e disso fui conhecendo muitos e muitos outros podcasts, incluindo Dimensão Nerd, Papo de gordo, WRGeeks – que veio a virar Ultrageek – ,entre vários outros que hoje gosto até mais que o próprio Nerdcast. Não que deixei de gostar deles, mas ficou bem abaixo na minha lista de favoritos e prioridades ao ouvir, mas foi minha porta de entrada para esse mídia que me deu muitas alegrias, informações e também muitas decepções.

Pelo chat do Now Loading, conheci muita gente bacana, e que gosto muito até hoje, mesmo com pouquíssimo contato, e muitos deles depois ou entraram em podcasts ou criaram seus próprios podcasts. Um deles – ou o primeiro deles – foi uma iniciativa que tiveram e mais tarde eu assumi pra criar: o Omegacast, o qual eu fui um dos que salvou ele de chamar Kiwicast, e comigo vieram o Trent e o Fabio, e nós três formamos a primeira equipe do Omegacast. A primeira gravação fiz pelo Audacity num primeiro beta ,que chamei de Testcast, e muitos gostaram, mas tive um problema: como eu não tinha um canal mix, não consegui gravar meu áudio, então como um dia em um Nerdcast o Azaghal tinha dado o e-mail do Jovem Nerd, eu resolvi arriscar e pedir uma ajuda. Qual não foi minha surpresa quando ele me respondeu e me apresentou o Pamela, que gravava direto do Skype. Nisso, um mundo se abriu e comprei o Pamela, e com ele funcionando eu gravei o primeiro episódio do Omegacast.

O Nerdcast teve muita importância, não só por criar o formato que serviu de base para muitos podcasts, inclusive o Ômega, e a partir daí seguir seu próprio caminho, encontrar sua própria identidade, mas como experiência, pois serviu para que muitos entendessem o podcast e gerar o que hoje chamamos de podosfera.

A podosfera que, de toda internet, é ainda um dos locais mais amigáveis e auto-sustentáveis, onde dificilmente há brigas reais, onde eu como ouvinte e podcast e produtor fiz bons amigos, conheci pessoas incríveis, outras nem tanto, aprendi muita coisa e tive muitas oportunidades, mas foi o grupo mais acolhedor que já estive.

Nesse grupo, tive a oportunidade de liberar meus senso criativo, minhas loucuras, minhas piadas sem graça e sempre bem recebido, pois ali todo mundo fazia o mesmo, e sendo a Kombo um dos lugares que me deu varias destas oportunidades.

Isso é só um trechinho da minha vida e minha experiência com esse podcast pra dividir com vocês pelo Dia do Podcast. E você? Qual foi sua vivência ou qual sua história com os Podcasts?

Escreva, comente, divulgue o Dia do Podcast!

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>